março 27, 2018

Mangal das Garças, seu lindo!

7 dicas pra conhecer (e apreciar) um dos melhores pontos turísticos de Belém

By Michele Escoura In CHEIRE

Qualquer roteiro de passeios ou dicas em Belém coloca o Mangal das Garças como um dos pontos turísticos indispensáveis da cidade. E não é nenhum exagero: o lugar é mesmo mágico! Inaugurado em 2005, o parque foi construído como parte de um projeto urbano de desenvolvimento turístico da orla do Rio Guamá e acabou causando  também algumas controvérsias sobre os seus efeitos na especulação imobiliária local. No coração da cidade, ele conta com cerca de 40 mil metros quadrados de área verde cuidadosamente planejada e mantida, diversas espécies de animais livres pelos gramados, um trapiche na beira do rio de encher os olhos e uma certa concorrência de fotógrafos em busca dos melhores ângulos para seus ensaios na estonteante paisagem.

Pose pra foto!

Aproveite uns momentos de sombra e ar fresco na beira do rio Guamá

Aqui em casa já virou lei entre nossos amigos e parentes: chegou em Belém, tem que colocar o Mangal na agenda! E de tanto acompanhar a galera em excursão por um dos meus passeios preferidos por Belém, consegui colecionar sete dicas úteis e especiais pra deixar qualquer visita ao Mangal ainda mais especial. Então anota aí!

Cuidado com os horários!
O parque abre de terça a domingo das 9h às 18h. Mesmo se você tiver numa excelente segunda-feira de feriadão, nem adianta correr pro Mangal… Dificilmente ele estará aberto nesse dia da semana. Se você quiser tentar a sorte na segundona, confirme antes se haverá visitações pelo telefone: (91) 3242-5052. Além disso, é por esse telefone também que você pode agendar visitas monitoradas.

Faça o percurso completo — e sem pressa!
O Mangal das Garças não é o maior parque de Belém, longe disso. Mas como tem uma variedade grande de atrações, às vezes nos distraímos demais em algum lugar e acabamos nem percebendo que há outros cantinhos preciosos pra se descobrir lá dentro. Por isso, quando estiver por lá, fotografe o mapa do parque e tente conhecer todos os percursos que estão indicados. Além disso, preste sempre atenção aos detalhes pelo caminho! Quem passa depressa quase nunca repara na arara de pena azul vibrante que vive escondidinha na escadaria perto do Memorial da Navegação.

Se liga! Quem tem pressa não vê a arara!

Cadê o dinheiro trocado?
A entrada ao parque é gratuita em todos os dias funcionamento. Entretanto, há quatro atrações internas que são pagas: o memorial da navegação, o viveiro que abriga as aves resgatadas, o borboletário e o farol — uma torre de 47 metros de altura que oferece uma vista de Belém e do Rio Guamá. As atrações são bem baratinhas (em torno de R$5 cada uma e com possibilidade de meia entrada para estudantes com carteirinha), mas a bilheteria não aceita pagamentos em cartões, só dinheiro e, de preferência, trocadinhos miúdos pra facilitar o troco. Além disso, o estacionamento do local também é pago, custando R$5 a hora.

Junte os trocadinhos e suba no farol pra ver essa vista do parque e do rio

Proteja-se!
O parque é sempre lindo e também sempre quente. Como a maioria da vegetação é baixa, não há muita sombra pelos caminhos e, por isso, é importante contar com proteção solar, seja em creme ou em sombrinhas. Além disso, um repelente pra afastar os mosquitinhos também é bem-vindo!

Olha a pressão baixa!
Dentro do parque há diversas opções de alimentação. O restaurante Manjar das Garças é certamente um dos mais prestigiados da cidade, e também um dos mais caros. Mas há também dois quiosques internos onde você pode tomar um sorvete geladinho ou um Tacacá pelando, ao gosto do cliente. A água gelada por lá também é vendida por um valor um pouco mais caro do que nos outros lugares da cidade. Por isso, se estiver precisando economizar, recomendo sempre levar uma garrafinha de água, uma fruta ou um biscoito na mochila pra driblar os momentos de pressão baixa provocados pelo calor.

Cara colega iguana

Eita o rabo da iguana!
Uma das melhores baratos do parque é se deparar com um monte de animal correndo solto pelo gramado. Não vou te antecipar muita coisa aqui pra não atrapalhar a surpresa, lógico. Mas se você for ao passeio em companhia de crianças pequenas, cuidado para não deixar os pequenos chegarem muito perto dos animais. Vai que a iguana acordou aquele dia de péssimo humor, né?

Andar entre os animais é sempre uma aventura!

Não perca!
Por último, a dica principal! O passeio no Mangal é indispensável e pode ser feito a qualquer horário do dia. Entretanto, o período da manhã é meu momento preferido de visitação. Além do clima geralmente estar um pouquinho mais fresco, é quando acontecem duas situações que você PRECISA acompanhar! Pontualmente às 10h esteja dentro do borboletário para presenciar a soltura das borboletas! É um momento mágico em que as bichinhas metamorfoseadas naquele dia serão soltas e aprenderão a voar pela primeira vez. Se tiver sorte, você ainda consegue tirar uma foto com a borboletinha pousada em seu braço! E depois disso, às 11h acontece a alimentação das garças. Espertas que só, elas já vão se amontoando perto do lago quando o horário vai chegando e assim que o tratador passa com a bandeja de peixes, elas saem todas em revoada em busca do almoço. É lindo de ver! Pra você conseguir o melhor ângulo, espere por elas no “Recanto da Curva”, bem de frente ao lago principal. E mesmo se não conseguir pegar essa programação da manhã, tente saber dos outros horários de alimentações dos animais nesse link. Não perca!

Olha ela!!

Avoa!!

Depois da visita, volte aqui pra me contar como foi 😉

Comentários

comments

2 Comments
  1. Melissa março 27, 2018

    Lugar lindo!
    Um passeio de experiência incrível!

    Saudades desse lugar ❤️

    Reply
  2. Cicera março 27, 2018

    Lugar maravilhoso!!
    Apenas um dos encantos de Belém
    Cidade incrível!!

    Sdds

    Reply

Leave a Comment